25/11/2015

TJ Jackson fala sobre a tutela dos filhos de Michael Jackson


Aos 37 anos, TJ é pai e guardião dos nove crianças que variam em idades dos 7 meses aos 24 anos: quatro crianças seus próprios filhos (Royal, 16; Dee Dee 7; Jo Jo, 4; e Rio, 7 meses) e dois enteados (Sage, 24 e Lexci, 21) com Frances Jackson, sua esposa e parceira há 17 anos - e é o co-guardião (juntamente com a avó Katherine Jackson) dos três filhos de Michael Jackson, Prince, de 18 anos; Paris, 17; e Blanket Jackson, 13.

Apesar das suas raízes famosas, amor e família tem sido o seu principal foco. "Parentalidade é a coisa mais bonita na vida", diz TJ a Yahoo Parenting. "Ter uma família é o maior sucesso." Numa entrevista exclusiva com Elaine Sir, TJ abre sobre crescer na icónica  família Jackson, lidar com o assassinato de sua mãe, aos 16 anos, ser um exemplo para os três filhos de Michael Jackson, e porquê ele sonhava em se tornar um pai jovem.

Ser pai é difícil, ser padrasto é mais difícil, e ser guardião é ainda mais difícil.

Como co-guardião de Paris, Prince e Blanket, estou sempre no modo de protecção. Há pessoas só à espera para ter acesso a eles. É complicado, porque o Prince tem 18 anos e a Paris tem 17, e eles podem pensar que não precisam de segurança. O Prince poderia dizer: "Eu tenho 18 anos!". Mas ele é sempre respeitador e compreensivo quanto ao que a minha avó e eu queremos. Ele sabe que a nossa intenção é boa.

Os miúdos [com guardiões] podem passar por fases em que dizem ou pensam, "Tu não és meu pai", mas eu nunca quis correr esse risco com o Prince ou Paris.

Quando o meu tio Michael faleceu, Prince tinha 11 ou 12 anos, e ele já me tinha solidificado como um primo, então eu não podia simplesmente aparecer como um pai. Por isso, tomei a abordagem de "irmão mais velho", em vez de a de um pai autoritário. Se eu fosse a uma reunião de pais e professores na Buckley, para Prince ou Paris, era mais do ponto de vista "Eu estou orgulhoso de ti".


Eu sou mais rigoroso com os meus próprios filhos. Em primeiro lugar, é porque eu posso ser, mas eu também sou cuidadoso sobre Royal [porque ele é um adolescente], e eu quero que ele seja forte e sirva de exemplo para as crianças mais jovens. Estou empenhado com todos eles. Eu não perdi uma reunião de pais e professores de nenhum um deles. Lembro-me de como era importante a minha mãe  estar lá. E eu quero estar lá também.

Eu tenho que lidar com a manipulação de algo muito particular (parentalidade) num espaço bastante público. Eu costumava ser incrivelmente protector, por causa dos paparazzi, mas não se pode fazer muito isso, porque também não queremos que os nossos filhos cresçam de forma anormal. Então, às vezes vamos a um restaurante e pedimos o piso superior para que possamos estar à vontade e sem ser interrompidos, mas a maior parte das vezes sentamos-nos ao lado de outras famílias. Eu prefiro fazê-lo dessa forma. A mesma coisa no aeroporto: Às vezes  voamos pela Southwest  com primos ou vamos em primeira classe na American, com um guia que vem ao nosso encontro e leva-nos para a sala. E eu quero que meus filhos tenham ambas as experiências.

É importante para mim que as crianças esperem na fila no Starbucks. Eu não quero que eles pensem que são melhores do que qualquer outra pessoa ou são demasiado bom para qualquer coisa. Alguns podem argumentar que "seu tio e pai trabalharam arduamente para vocês terem esse prazer ', mas há um valor incrível em viver uma vida normal, uma vida calma. Dessa forma, também os excessos são apreciados.

É engraçado, Michael costumava levar-nos ao Toys R Us depois da loja fechar. Eles abriam para nós, e ele dizia para agarrarmos um carrinho e enche-lo com o que queríamos! Aparecemos até no jornal no Japão uma vez, por ter gasto US $ 25.000. Mas Michael não fez isso com seus próprios filhos, ele fê-los limitar os seus brinquedos até três para cada um.

Eu esforço-me, da mesma maneira que Michael: Querendo dar aos meus filhos tudo, mas também querendo que sejam normais.


Original em Inglês: yahoo.com
Tradução: Espaço Michael Jackson



10 comentários:

  1. Lindo este depoimento, amiga.. beijos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que ele ficou com guarda partilhada com a avó. Parece-me ser uma pessoa equilibrada...
      Beijinho, linda!

      Eliminar
  2. Ele disse que Prince tinha 11 Ou 12 anos quando Michael morreu. Ele nem lembrou a idade do próprio primo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acho normal. Ainda por cima ele que tem a seu cargo uma catrefada de crianças, fica difícil lembrar qual a idade exata de cada um deles em determinada situação.

      Eliminar
  3. É verdade , fora os filhos de Michael ele tem seis crianças 4 filhos e 2 enteados.

    ResponderEliminar
  4. Nossa, ele é tão jovem e tem muito trabalho pois precisa de muito dinheiro pra cuidar de tantas crianças.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em relação aos filhos de Michael, as despesas são suportadas pelo Espólio de Michael, e penso que o TJ também recebe um valor por ser guardião deles.

      Eliminar
    2. Mas além dos filhos de Michael, ele tem mais 7 bocas (além dele mesmo ) para alimentar.

      Eliminar
  5. Mas além dos filhos de Michael , ele tem mais 7 bocas ( além da própria ) para alimentar e precisa de muito dinheiro.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...