19/10/2015

Brett Ratner fala sobre sua amizade com Michael

Brett Ratner, Michael Jackson, Al Malnik e Chris Tucker


-Por Patrick Goldstein – LA Times

Eu liguei a Ratner para lhe perguntar como ele se tornou tão rápido, amigo de Jackson. Acontece que eles se conheceram em 1998, quando Ratner estava a terminar o seu primeiro filme "Rush Hour". Um dia, Chris Tucker estava a fazer uma cena e desatou numa feroz dança estilo Michael Jackson. A sequência era tão engraçado que quando Ratner teve as sessões de teste do filme, teve uma das maiores gargalhadas das imagens. Mas porque era uma imitação óbvio de Jackson, Ratner sabia que tinha de clarear isso com a estrela pop antes de puder colocá-lo no filme.

Isso apresentou um problema, uma vez que Jackson era tão recluso que mesmo Ratner, uma das grandes celebridades do nosso tempo com muita lábia, não poderia chegar até ele. Ele até mesmo ligou a Jackson para o rancho Neverland, mas nunca chegou a lugar nenhum. Então, ele teve sorte. "O meu editor estava a falar com o projectista que dirigia a triagem final e descobriu-se que ele era projectista pessoal de Michael", Ratner disse-me hoje. "Então eu dei-lhe a cópia e pedi-lhe para colocar o início da segunda bobina para Michael, que tinha Chris "dançando isso".

Dois dias depois Ratner atendeu o telefone e ouviu a voz suave de Michael Jackson. Então, o que Michael disse?.

Michael disse que tinha visto o filme todo e adorou, especialmente a cena que Chris fez com a sua dança. Ele disse: "Tem a minha permissão para usar o que quiser." Isso era óptimo, mas Ratner precisava de algo por escrito. Quando ele pediu a Jackson para assinar isso em papel, Jackson simplesmente convidou-o para ir até ao rancho. "Então, eu fui até lá e entrei, com todos as suas girafas e outros animais, todos lá fora para me cumprimentar." Lembra Ratner. "Acabei por ficar no rancho e tornamo-nos grandes amigos. Nós dois tínhamos este enorme fascínio quase infantil com filmes e música e todos os tipos de entretenimento".

Michael e Brett Ratner

Ao longo dos anos, Ratner e Jackson passaram uma enorme quantidade de tempo juntos. Eles filmavam-se um ao outro, com Jackson perguntando a Ratner, sobre como ele se tornou Director de cinema e Ratner perguntando a Jackson, sobre como ele se tornou um artista. "Eu tenho horas de imagens de nós, sentados por lá de pijama, comigo perguntando-lhe sobre que tipo de música que ele amava em criança, que tipo de livros ele tinha na estante em criança.

Quando se estava com ele, sentia-se realmente como que Deus estava dentro dele. Ele era um tipo de pessoa sobre-humana incrível, mas ele sempre te tratava como um igual. Ele era seu amigo e nunca pedia nada em troca.

Uma das suas actividades favoritas era fazer dance-offs, (competição informal entre dois bailarinos) na sala de jogos na casa de Jackson. Jackson colocava um disco, geralmente uma canção da sua irmã, Janet, e desencadeava alguns movimentos impressionantes de dança. Depois, Ratner ou Chris Tucker, que às vezes também vinha, punham a tocar os discos de Michael e dançavam junto com eles. Eu perguntei se Ratner se sentiu um pouco como um mero mortal que joga um face-a-face com LeBron James. "Ei, eu não estava constrangido. Eu sou um bom dançarino. Foi muito divertido fazer isso juntos. "

Quando não estavam a dançar, Ratner e Jackson iam assistir a filmes juntos. Ele diz que devem ter assistido à versão original de "Willie Wonka and the Chocolate Factorye" 50 vezes ao longo dos anos. "Eu sei que as pessoas olhavam para Michael e pensam que ele era estranho, mas para mim, ele era fascinante", diz Ratner. "Ele foi a pessoa mais inspiradora na minha vida. Seu único sonho era curar todas as crianças doentes em todo o mundo. E quando eu dizia: 'Isso não é impossível? Michael simplesmente começava a chorar. Ele comovia-se muito sobre as coisas que o moviam. Eu acho que poderia dizer-se que ele era um inocente puro, num mundo que já não era tão inocente".







Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...